A política externa e a indústria de defesa no Brasil

Helder Pereira da Silva, André Luís Melo de Andrade

Abstract


Este trabalho visa a apontar um período em que a indústria de defesa brasileira atuou em apoio à política econômica, que adotava medidas para compensar desequilíbrio na balança comercial, especialmente agravado com a segunda crise mundial do petróleo1, ocorrida em 1979. Numericamente, o mais expressivo fornecedor de petróleo para o Brasil era o Iraque, país com o qual também mantivemos contínua transação comercial por meio da venda de produtos da indústria de defesa nacional. Durante aproximadamente uma década, o Brasil vendeu produtos com tecnologia agregada e comprou commodity. Partindo de uma discussão teórica das linhas de pesquisa das Relações Internacionais e apresentando dados coletados sobre o período, objetivamos responder à seguinte questão: a indústria de defesa brasileira pôde fazer mais do que fornecer e manter material de emprego militar para as forças armadas nacionais, ao concorrer positivamente para execução da política externa?


Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2017 REVISTA DA EGN

Indexes and directories:
resultado de imagem para Diadorim AZUL resultado de imagem para LOGO DE DOI CrossRef resultado de imagem para CAPES PERIÓDICAS Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
 
 

REVISTA DA ESCOLA DE GUERRA NAVALJOURNAL OF THE NAVAL WAR COLLEGE

e-ISSN: 2359-3075
ISSN: 1809-3191

INSTRUCTIONS FOR AUTHORS ON-LINE SUBMISSION