Estudos estratégicos: uma abordagem sobre o arquétipo organizacional militar brasileiro e a relação civil-militar

Frederico Carlos de Sá Costa, André Marcus Blower

Abstract


Neste artigo, busca-se responder à seguinte pergunta: o momento constituinte (1985-1988) é central para o entendimento transformação do arquétipo3 organizacional militar brasileiro e doimpacto desta transformação na relação civil-nacional? A temática desenvolvida por Andreski (1968), na sua obra Military Organization and Society; Huntington (1996), no clássico O Soldado e o Estado; e, analisando o caso brasileiro, Stepan (1986), no seu trabalho Os Militares: da Abertura à Nova República, constitui interesse de estudo para os autores deste artigo, haja vista conduzirem os debates sobre a relação civil-militar nacional, permitindo-se a inserção de outras realidades num quadro analítico maior. Discutir-se-á a hipótese de que o arquétipo organizacional militar brasileiro, após 1988, é classificado, segundo a nomenclatura utilizada por Andreski, como Mortazic, diferente daquele classificado como Ritterian, atinente ao período histórico anterior (1964 a 1985).


Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2016 CAPA - REVISTA DA EGN

Indexes and directories:
resultado de imagem para Diadorim AZUL resultado de imagem para LOGO DE DOI CrossRef resultado de imagem para CAPES PERIÓDICAS Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
 
 

REVISTA DA ESCOLA DE GUERRA NAVALJOURNAL OF THE NAVAL WAR COLLEGE

e-ISSN: 2359-3075
ISSN: 1809-3191

INSTRUCTIONS FOR AUTHORS ON-LINE SUBMISSION