Os saberes da guerra: o pensamento de Carl von Clausewitz no Brasil (1990-2019)

Sandro Teixeira Moita, Tássio Franchi

Abstract


Carl von Clausewitz (1780-1831) é reconhecidamente um dos maiores teóricos da guerra no mundo ocidental. Este trabalho investigou como seus conhecimentos têm sido utilizados no Brasil, entre 1990 e 2019. A hipótese é que esta produção neste período se ampliou na medida em que ocorreu uma transformação e expansão do aparato de Defesa no país, o que impulsionou o debate em Estratégia e consequentemente mais obras relacionadas com Clausewitz. A pesquisa foi limitada à produção em forma de artigos e capítulos de livros, devido a maior circulação desses meios de divulgação do que teses, dissertações ou monografias. Para realizar a pesquisa foram investigadas plataformas com Scopus, Portal de Periódicos Capes, Google Scholar e sites de revistas acadêmicas. Os resultados mostraram onde e com qual finalidade Clausewitz tem sido trabalhado no Brasil.

Keywords


Defesa; Ciências Militares, Teoria da Guerra; Estratégia; Clausewitz

References


AGUILAR, Sergio Luiz Cruz. A Participação do Brasil nas Operações de Paz: passado, presente e futuro. Brasiliana – Journal for Brazilian Studies, v. 3, n. 2, p. 113-141, 2015.

ALMEIDA, P. R. A Arte de NÃO Fazer a Guerra: novos comentários à Estratégia Nacional de Defesa. Meridiano 47. v. 11, n. 119, p. 21-31, 2010.

ALVES, L. R. R. O Ministério da Defesa está consolidado? PADECEME. n. 12, p. 49-56, 2006.

ALSINA JR, João Paulo Soares. A síntese imperfeita: articulação entre política externa e política de defesa na era Cardoso. Revista Brasileira de Política Internacional, v. 46, n. 2, p. 53-86, 2003.

ANTUNES, P. F. R. Lénine e Clausewitz: a guerra como continuação da política por outros meios. Verinotio – Revista on-line de Filosofia e Ciências Humanas. Ano XI, n. 21, p. 232-253, 2016.

ARON, R. Pensar a Guerra: Clausewitz – a Era Europeia. Tradução de Elisabeth Maria Speller Trajano. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1986a.

ARON, R. Pensar a Guerra: Clausewitz – a Era Planetária. Tradução de Elisabeth Maria Speller Trajano. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1986b.

BERLIN, I. Against the Current: Essays in the History of Ideas. 2. ed. Editada por Henry Hardy. Princeton: Princeton University Press.

BRASIL. Câmara dos Deputados. DECRETO LEGISLATIVO Nº 179, DE 2018. Aprova a Política Nacional de Defesa, a Estratégia Nacional de Defesa e o Livro Branco de Defesa Nacional.

BURKE, P. A escola dos Annales (1929-1989). Unesp, 1997.

BUZAN, B; HANSEN, L. A Evolução dos Estudos de Segurança Internacional. São Paulo: UNESP, 2012.

CAPES. Documento de Área Ciência Política e Relações Internacionais 2019. Brasília, 2019. Disponível em: https://www.capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao/74-dav/caa2/4661-ciencia-politica-e-relacoes-internacionais. Acesso em: 11 set. 2020.

CASTRO, C; IZECKSOHN, V; KRAAY, H. Nova História Militar Brasileira. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

CECÍLIO, M. F. Aron e Clausewitz: uma leitura epistemológica. Revista Aurora. v. 12, n. 1, p. 73-92, 2014.

CLAUSEWITZ, C. V. Da Guerra. Tradução de Maria Teresa Ramos. Brasília: Editora Universidade de Brasília e Editora Martins Fontes, 1979.

CLAUSEWITZ, C. V. On War. 2. ed. Tradução para o inglês de Michael Howard e Peter Paret. Princeton: Princeton University Press, 1984.

CLAUSEWITZ, C. V. Trechos de sua obra. Rio de Janeiro: Bibliex, 1988.

CLAUSEWITZ, C. V. Da Guerra. Tradução de Inês Busse. Mira-Sintra: Europa-América, 1986.

CLAUSEWITZ, C. V. A Campanha de 1812 na Rússia. Martins Fontes, 1994.

CLAUSEWITZ, C. V. Da Guerra. 2. ed. Tradução de Maria Teresa Ramos. São Paulo: WMF Martins Fontes, 1996.

CLAUSEWITZ, C. V. Da Guerra. 3. ed. Tradução de Maria Teresa Ramos. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2010.

CORVISIER, André. La Guerre. Essais Historique. Paris: PUF, 1995.

COUTAU-BÉGARIE, H. Tratado de Estratégia. Rio de Janeiro: Escola de Guerra Naval, 2010.

COUTINHO, R. S. R.; GOMES, V. L. C. Clausewitz e os conflitos irregulares: um panorama sobre as “Novas” guerras no século XXI. Revista da Escola Superior de Guerra. v. 31, n. 62, p. 171-183, jan./jul. 2016.

CREVELD, M. V. The Transformation of War. Nova Iorque: The Free Press, 1991.

DAROS, R. P. O Pensamento Estratégico Em Sun Tzu, Maquiavel, Clausewitz E Carlos Matus. Gavagai – Revista Interdisciplinar de Humanidades. v. 4, n. 2, p. 83-102, 2017.

DINIZ, E. Epistemologia, História e Estudos Estratégicos – Clausewitz vs Keegan. Contexto Internacional. Rio de Janeiro: v. 32, n.1, p. 39-90, 2010.

DINIZ, E.; PROENÇA JUNIOR, D. A Criterion for Settling Inconsistencies in Clausewitz’s On War. The Journal of Strategic Studies. Vol. 37, No. 6-7, p. 879-902, 2014.

DINIZ, E.; PROENÇA JUNIOR, D. The Collapse of the Material Foundations of Westphalian International Law. Revista de Sociologia e Política. v. 23, p. 9-20, 2015.

DUARTE, E. E.; MENDES, F. P. A Ciência da Guerra – Epistemologia e Progresso nos Estudos Estratégicos. Revista Brasileira de Estudos de Defesa. v. 2, n. 2, p. 125-146, 2015.

DUARTE, E. E. Uma Análise Crítica Preliminar da Estratégia do Surge no Iraque, 2007-2010. Conjuntura Austral. v. 4, p. 32-48, 2013.

DUARTE, E. E. Clausewitz, Corbett e o Desafio das Guerras Limitadas. Revista da Escola de Guerra Naval. v. 21, n. 2, p. 117-146, 2015.

FEREZIN, C.C.W. Leituras de Clausewitz no Exército Brasileiro: Interpretações da Trindade da Guerra. Teoria e Política, Revista de Ciência Política. São Carlos: v. 22, n. 1, p. 102-119, jan/jul. 2013.

FEREZIN, C.C.W. Clausewitz no Exército Brasileiro: o impacto das guerras e do profissionalismo militar (1889-1918). Revista Estudos Políticos. v. 7, n. 14. p. 154-178, 2016.

FERREIRA, O. Clausewitz e a política. Lua Nova, n. 34, p. 27-34, 1994.

FREEDMAN, L. Strategy: a History. London: Oxford University Press, 2013.

GRAY, C. S. Strategy and History: Essays on Theory and Practice. Oxon: Routledge, 2006.

JOMINI, A. H. The Summary of the Art of War: Restored Edition. Tradução para o inglês de G.H. Mendell e W.P. Craighill. Kingston: Legacy Books Press, 2008.

JUDICE, L. P. C.; JONES, C. M. Clausewitz e a Polarização Marítima no Século XXI: uma orientação teórica para a Estratégia Nacional de Defesa. Revista Brasileira de Estudos Estratégicos. v. 8, n. 16, p. 89-111, 2016.

KALDOR, M. New and old wars – organized violence in a global era. Stanford: Stanford University Press, 1999.

KEEGAN, J. Uma História da Guerra. 2. ed. Tradução de Pedro Maia Soares. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1996.

KILCULLEN, David.The Accidental Guerrilla: Fighting Small Wars in the Midst of a Big One. Oxford: University Press, 2009.

LEMOS, T. T.; SANTOS, P. H. S. Reflexões sobre uma Epochal War: O Brasil e seus Vizinhos Platinos. Cordis. n. 11, p. 281-298, 2013.

LIZIERO, L. B. S. Pequeno ensaio sobre as relações entre a guerra e o direito. Cosmopolitan Law Journal/Revista de Direito Cosmopolita. v. 4, n. 1 e 2, p. 42-62. 2017.

LUIZ, F. Clausewitz, Liddel Hart, Beaufre, Foucault: O conceito filosófico de estratégia. Ítaca, n. 34, p. 192-204, 2019.

LUTTWAK, E. N. Estratégia – A Lógica da Guerra e da Paz. Tradução de Álvaro Pinheiro. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 2009.

MACEDO, P. E. V. B. A guerra e a violência na política em Clausewitz. Revista Quaestio Iuris, v. 11, n. 04, p. 2916-2947, 2018.

MAGALHÃES, B. B. F. Beaufre, Hart, Clausewitz e os desafios da estratégia nacional. Hemisfério – Revista del Colegio Interamericano de Defensa. v. 2, p. 51-62, 2016.

MARTINS FILHO, J. R. Engels & Marx, guerra e revolução. Crítica Marxista. v. XI, n. 22, p. 154-160, 2006.

MATOS, P. O. Implicações Econômicas na Guerra e no Poder Militar. Tensões Mundiais. v. 11, n. 20, p. 115-14, 2015.

MENDES, F. P. Clausewitz, o Realismo Estrutural e a Paz Democrática: uma Abordagem Crítica. Contexto Internacional, v. 34, n. 1, p. 79-111, 2012.

MENDES, F. P. Guerra, Guerrilha e Terrorismo – uma Proposta de Separação Analítica a partir da Teoria da Guerra de Clausewitz. Carta Internacional. v. 9, n. 2, p. 96-108, 2014.

MORAIS, J. R. G. S. Oportunidades Perdidas: Análise da Campanha Alemã na União Soviética em 1941, a partir da Teoria de Clausewitz. Revista Brasileira de Estudos Estratégicos. v. 7, n. 13, p. 188-210, 2015.

MOREIRA, L. G. S. Os múltiplos olhares sobre a história militar. História Unisinos. v. 16, n. 3, p. 272-282, 2012.

MORILLO, S; PAVKOVIC, M. F. What is Military History? Cambridge: Polity Press, 2006.

NEIVA FILHO, I. F. Operações Baseadas em Efeitos. PADECEME. n. 20, p. 75-89, 2009.

NEIVA FILHO, I. F. Complexidade, Caos e a Arte da Guerra. Coleção Meira Mattos, Revista das Ciências Militares. v. 8, n. 32, p. 117-123, 2014.

NETO, A. S. O. O Exército Brasileiro e a Guarda Nacional: as tensões e contradições do modelo de defesa territorial (1850-1873). PADECEME. n. 13, p. 56-70, 2006.

NUNES, R. F. O Instituto Meira Mattos da ECEME e o processo de transformação do Exército Brasileiro. Coleção Meira Mattos-Revista das Ciências Militares, v. 2, n. 26, 2012.

PALACIOS JUNIOR, A. M. A Sociologia Funcionalista de Florestan Fernandes, os Tupinambás e as Novas Guerras. Revista Brasileira de Estudos de Defesa. v. 3, n. 1, p. 53-67, 2016.

PARET, P. The New Military History. Parameters. Edição de Outono 1991.

PARET, P. The Annales School and the History of War. The Journal of Military History. Vol. 73, No. 4, pp. 1289-1294, 2009.

PARET, P. Clausewitz. In: PARET, P.; CRAIG, G.; GILBERT, F. Construtores da Estratégia Moderna. 2. ed. Tradução de Joubert de Oliveira Brízida. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, p. 235-269, 2015. t.1.

PASSOS, R. D. F. Uma leitura sobre Lenin, Clausewitz, a revolução e a guerra. Outubro. n. 20, p. 151-169, 2012.

PAULA. A. M. P. Terrorismo – A contemporaneidade da Trindade Clausewitziana. Conjuntura Internacional. Belo Horizonte, v. 12, n. 3, p. 185-196, 2015.

PIMENTEL, L. P. G.; NETO, T. E. O Estudo da Teoria da Guerra de Quarta Geração na Segunda Guerra do Golfo (2003). Coleção Meira Mattos, Revista das Ciências Militares. v. 8, n. 33, p. 175-183, 2014.

PROENÇA JÚNIOR, D.; DUARTE, E.E. The Concept of Logistics Derived from Clausewitz – All That Is Required So That the Fighting Force Can Be Taken As a Given. The Journal of Strategic Studies. Vol. 28, No. 4, p. 645-677, 2005.

PROENÇA JÚNIOR, D.; DUARTE, E.E. Os Estudos Estratégicos como Base Reflexiva da Defesa Nacional. Revista Brasileira de Política Internacional. v. 50, n. 1, p. 29-46, 2007.

RAMOS, C. E. F. A importância da mobilização nacional sobre os ombros de gigantes. Coleção Meira Mattos, Revista das Ciências Militares. n. 27, 2012.

REZENDE, L. P.; ÁVILA, R. A Inovação e o Fenômeno Bélico. Austral: Revista Brasileira de Estratégia & Relações Internacionais. v. 3, n. 6, p. 225-248, 2014.

RODRIGUES, A. O. O Legado de Clausewitz para a sociedade. Revista Brasileira de Estudos Estratégicos, v. 10, n. 19, p. 111-132, 2019.

ROGERS, C. S. Clausewitz, Genius, and the Rules. The Journal of Military History. Vol. 66, No. 4, p. 1167-1176, 2002.

ROSAS DUARTE, G. M. M. B. Guerra no ar: combate aéreo e teoria da guerra de Clausewitz. Relações Internacionais no Mundo Atual, v. 1, p. 51-79, 2010.

ROTHFELS, Hans. Carl von Clausewitz. Politik und Krieg. Eine ideengeschichtliche Studie. Dümmler Verlag: Berlim, 1920.

SERRANO, M. O. L. A Guerra é Filha Única. Coleção Meira Mattos, Revista das Ciências Militares. v. 7, n. 28, p. 65-78, 2013.

SILVA, C. E. M. V. Trindade de Clausewitz e sua aplicação à análise do terrorismo. Idéias, Campinas, v. 10, n. 2, p. 163-183, 2003a.

SILVA, C. E. M. V. A profissão militar e as mudanças na guerra: Devem os militares combater o crime urbano? Olhar, São Carlos, v. 5, n. 8, p. 56-64, 2003b.

SILVA, C. E. M. V. A estética do combate e a situação pós-moderna. Teoria & Pesquisa, v. 46, p. 83-99, 2005.

SILVA, J. S. D. Os conceitos de Clausewitz aplicados aos Estudos Estratégicos do mundo contemporâneo. Revista da ESG, ano XIII, n. 36, p. 185-194, 1998.

SILVA, R.T. Clausewitz no Ministério da Defesa do Brasil: a Democracia como Comandante da Guerra. Revista de Geopolítica. Ponta Grossa, v. 2, n. 1, p. 117-128, jan./jul. 2011.

SMITH, M. L. R. Strategy in an age of ‘low-intensity’ warfare: why Clausewitz is still more relevant than his critics. In: DUYVESTEYN, I.; ANGSTROM, J. Rethinking the Nature of War. Nova Iorque: Frank Cass, 2005.

SOCHACZEWSKI, A. G. Ciência e arte operacional: uma perspectiva sobre o design. Revista da Escola de Guerra Naval, v. 23, n. 1, p. 131-156, 2017.

STOKER, D. Clausewitz – His Life and Work. Nova Iorque: Oxford University Press, 2014.

STRACHAN, H. Sobre a Guerra de Clausewitz. Tradução de Maria Luiza X. A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

STRACHAN, H; HERBERG-ROTHE, A. (ed.). Clausewitz in the Twenty-First Century. London: Oxford University Press, 2007.

SUMIDA, J. T. The Relationship of History and Theory in On War: The Clausewitzian Ideal and Its Implications. The Journal of Military History. Vol. 65, No. 2, p. 333-354, 2001.

TAVARES, L. F. F.; RAMOS, C. E. F.; FRANCHI, T. O conceito de fricção: de Clausewitz à atualidade. In: FREIRE, F. F.; CELESTINO, S.; PEREIRA, A. C. (org). Pesquisa em Ciências Militares. 1. ed. Rio de Janeiro: Centro de Estudos de Pessoal do Exército, 2018, p. 169-205.

TEIXEIRA JÚNIOR, A. W. M. A guerra do futuro e suas implicações estratégicas: uma perspectiva Clausewitziana. Análise Estratégica, v. 11 (1), p. 18-24, 2019.

VAINFAS, D. R.; BARREIROS, D. P. Clausewitz, Keegan e a evolução da guerra: caminhos entre a racionalidade e a etologia. OIKOS, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p. 87-102, 2019.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2021 REVISTA DA ESCOLA DE GUERRA NAVAL

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Indexes and directories:
resultado de imagem para Diadorim AZUL resultado de imagem para LOGO DE DOI CrossRef resultado de imagem para CAPES PERIÓDICAS Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
 
 

REVISTA DA ESCOLA DE GUERRA NAVALJOURNAL OF THE NAVAL WAR COLLEGE

e-ISSN: 2359-3075
ISSN: 1809-3191

INSTRUCTIONS FOR AUTHORS ON-LINE SUBMISSION