“Lawfare” e cerceamento tecnológico: o caso do acordo de salvaguardas tecnológicas Brasil-EUA

Guilherme Tadeu Berriel da Silva Oliveira

Abstract


O termo “lawfare” expressa a utilização do Direito como instrumento para a obtenção de uma vantagem militar em substituição a um meio cinético tradicional. Trata-se de uma prática cada vez mais recorrente no mundo hodierno para legalizar e legitimar hostilidades, conquistar a opinião pública ou para alcançar objetivos sem os custos de uma operação militar. Contudo, a incipiente literatura sobre o tema carece de métodos e critérios para sistematizar tal prática. O objetivo geral do presente trabalho é investigar a aplicabilidade do conceito lawfare como modelo de análise factual. Nesse âmbito, possui o objetivo específico de reunir parâmetros teóricos existentes e investigar se o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas Brasil-EUA consiste em prática de lawfare. Por meio de revisão da literatura, o artigo estabelece os principais conceitos e características do lawfare e analisa a prática estratégica do cerceamento tecnológico e o papel dos mecanismos jurídicos nessa questão. Após, por meio de coleta de dados primários e secundários, fornece um panorama sobre o AST e aplica os conceitos ao caso concreto. O trabalho constatou a ocorrência da prática de lawfare no caso do AST e a utilidade do conceito para análise factual, embora seja necessário amadurecimento teórico.

Keywords


Lawfare; Cerceamento Tecnológico; Acordo de Salvaguardas Tecnológicas; Brasil; Estados Unidos da América

References


AGÊNCIA ESPACIAL BRASILEIRA (AEB). Conhecendo o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas Brasil e Estados Unidos. 2019. Disponível em . Acesso em 13/06/2019.

BACON, Francis. The Works of Francis Bacon, Lord Chancellor of England. Londres: William Pickering, 1825. Diponível em: . Acesso em 31/03/2016.

BARROS FILHO, G.C. FARIAS, A.A. OLIVEIRA, G.F. Considerações sobre o Instituto do Lawfare. Id on Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia, Janeiro de 2017, vol.10, n.33, Supl 2. p. 363-369. ISSN: 1981-1179.

BAYLIS, John. WIRTZ, James. Introduction. In: __________. COHEN, Eliot. GRAY, Colin (orgs.). Strategy in the Contemporary World. New York: Oxford, 2002.

BELLFLOWER, John W. The Influence of Law on Command of Space. Air Force Law Review. N. 65, 2010, pp. 107-144. Disponível em < https://www.afjag.af.mil/Portals/77/documents/AFD-100510-068.pdf>. Acesso em 17/04/2019.

BRASIL. Ministério da Defesa. Política Nacional de Defesa e Estratégia Nacional de Defesa. 2012. Disponível em . Acesso em 13/06/2019.

__________. Ministério da Defesa. Acordo de Salvaguardas Tecnológicas possibilita destravar uso comercial do Centro de Lançamento de Alcântara. 2019. Disponível em: . Acesso em 23/05/2019.

__________. Lei nº 13.814, de 17 de abril de 2019. Dispõe sobre a extinção da empresa binacional Alcântara Cyclone Space. 2019. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2019-2022/2019/Lei/L13814.htm>. Acesso em 13/06/2019.

CAMINO, Maria Ester Mena Barreto. MENCK, José Theodoro Mascarenhas. O Direito Internacional Público e o Programa Aeroespacial Brasileiro. In: ROLLEMBERG, Rodrigo (relator). VELOSO, Elizabeth Machado (coord.). QUEIROZ FILHO, Alberto Pinheiro de et al. A Política Espacial Brasileira – Parte I. Série Cadernos de Altos Estudos n. 7. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2009.

CARLSON, John. YEOMANS, Neville. Whither Goeth the Law – Humanity or Barbarity. In SMITH, M. CROSSLEY, D. (Eds.). The Way Out - Radical Alternatives in Australia. Melbourne: Lansdowne Press, 1975. Disponível em < http://www.laceweb.org.au/whi.htm>. Acesso em 17/04/2019.

CAVALIERI FILHO, Sergio. Programa de Sociologia Jurídica. Rio de Janeiro: Forense, 2007.

CHINKIN, Christine. KALDOR, Mary. International Law and New Wars. New York: Cambridge University Press, 2017.

CLAUZEWITZ, Carl Von. On War. Edited and Translated by Michael Howard and Peter Paret. New Jersey: Princeton University Press, 1989.

COMAROFF, Jean. COMAROFF, John L. Law and Disorder in the Postcolony: an introduction. In: __________ (Eds.). Law and Disorder in the Postcolony. Chicago: The University of Chicago Press, 2006, pp. 1-56.

DEFESANET. CLA - Integra do Acordo de Salvaguardas Brasil - EUA (2000). 30 de julho de 2013. Disponível em: . Acesso em 13/06/2019.

DICIONÁRIO CAMBRIDGE. Warfare. Disponível em . Acesso em 17/04/2019.

DUNLAP JR., Charles J. Law and Military Interventions: preserving humanitarian values in 21st conflicts. 2001. Disponível em < https://people.duke.edu/~pfeaver/dunlap.pdf>. Acesso em 09/03/2019.

__________. Lawfare: A Decisive Element of 21st-Century Conflicts? , 54 Joint Force Quarterly 34-39, 2009. Disponível em . Acesso em 09/03/2019.

_________. Lawfare Today…and Tomorrow. In: PEDROZO, Raul A. WOLLSCHLAEGER, Daria P. (Eds.). International Law and the Changing Character of War. US Naval War College International Law Studies, Vol. 87, 2011, pp. 315-325. Disponível em . Acesso em 17/04/2019.

FAZAL, Tanisha M. Wars of law: unintended consequences in the regulation of armed conflict. Ithaca: Cornell University Press, 2018.

FORÇA AÉREA BRASILEIRA. Centro de Lançamento de Alcântara. Implantação. Disponível em . Acesso em 12/06/2019.

__________. Centro de Lançamento de Alcântara. Vantagens. Disponível em . Acesso em 12/06/2019.

GERALDO, Michelly S. COSSUL, Naiane I. Tecnologia como fator estratégico para o Brasil e para a segurança da América do Sul. Revista Política Hoje, v. 26, n. 1, 2017, p. 37-54.

GRAY, Christine. International Law and the Use of Force. Christine Gray. 4ª ed. Nova York, Oxford University Press, 2018.

JUSTIFICANDO. Lawfare representa o uso indevido dos recursos jurídicos para fins de perseguição política. 2016. Disponível em . Acesso em 17/04/2019.

KENNEDY, David. Lawfare and Warfare. In: CRAWFORD, James. KOSKENNIEMI, Martti. The Cambridge Companion to International Law. New York: Cambridge University Press, 2012.

KITTRIE, Orde F. Lawfare: law as a weapon of war. New York: Oxford University Press, 2016.

LONGO, Waldimir Pirró e. Tecnologia militar: conceituação, importância e cerceamento. Tensões Mundiais, Vol.3, n.5, pag. 111-143, Fortaleza/CE, 2007.

__________. MOREIRA, William de Sousa. O Acesso a Tecnologias Sensíveis. Tensões Mundiais, vol. 5, n. 9, p. 79-98, Fortaleza/CE, 2009.

______. ______. Contornando o Cerceamento Tecnológico. In: SVARTMAN, E.M. (Org.). Defesa, Segurança Internacional e Forças Armadas. Campinas: Mercado de Letras, 2010, p. 309-321.

MISSILE TECHNOLOGY CONTROL REGIME (MTCR). Equipment, Software and Technology Annex. 19 de dezembro de 2018. Disponível em: . Acesso em 14/06/2019.

MOREIRA, William de Sousa. Obtenção de Produtos de Defesa no Brasil: o desafio da transferência de tecnologia. Revista da Escola de Guerra Naval. Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 127-149, 2011.

______. Fontes Normativas do Cerceamento Tecnológico: complementaridade entre “soft law” e “hard law”. In: VII ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DE DEFESA (ABED), Simpósio Temático sobre “Geopolítica e Geoeconomia de Defesa”... Belém – PA, 7 ago. 2013.

______. CT&I para Defesa: Política e Gestão. 19 mar. 2015, 16 jul. 2015. Notas de Aula.

NADER, Paulo. Introdução ao Estudo do Direito. 36ª ed. Rio de Janeiro: Forense, 2014.

NEWBERRY, Robert D. Latin American Coutries with Space Programs: colleagues or competitors? Air & Space Power Journal. Vol. 17, N. 3, Fall 2003, pp. 39-45.

NUNEZ, Ben. Lawfare. Disponível em . Acesso em 17/04/2019.

PARTIDO DOS TRABALHADORES. Posts arquivados em Lawfare. Disponível em < https://pt.org.br/tag/lawfare/>. Acesso em 17/04/2019.

ROLLEMBERG, Rodrigo. Relatório. In: ROLLEMBERG, Rodrigo (relator). VELOSO, Elizabeth Machado (coord.). QUEIROZ FILHO, Alberto Pinheiro de et al. A Política Espacial Brasileira – Parte I. Série Cadernos de Altos Estudos n. 7. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2009.

SOLIS, Gary D. The Law of Armed Conflict: international humanitarian law in war. Gary D. Solis. 1ed. New York: Cambridge University Press, 2010.

THE LAWFARE PROJECT. Issues. 2019. Disponível em < https://www.thelawfareproject.org/issues>. Acesso em 17/04/2019.

TIEFENBRUN, Susan W. Semiotic Definition of Lawfare. Case Western Reserve Journal of International Law. N.43 29, 2010. Disponível em . Acesso em 09/03/2019.

TZU, Sun. A Arte da Guerra. Adaptação e tradução André da Silva Bueno. São Paulo: Jardim dos Livros, 2013.

WEBER, Max. Ciência e Política: duas vocações. Tradução de Leonidas Hegenberg e Octany Silveira da Mota. 14ª ed. São Paulo: Cultrix, 2007.

WILLIAMS, Paul. R. Lawfare: A War Worth Fighting. Case Western Reserve Journal of International Law. N.43 29, 2010. Disponível em . Acesso em 09/03/2019.

WIKILEAKS. Responding to Ukrainian questions concerning USG support for Ukrainian-Brasilian SLV joint venture at Alcantara. 2011. Disponível em: . Acesso em: 12/06/2019.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2020 REVISTA DA ESCOLA DE GUERRA NAVAL

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Indexes and directories:
resultado de imagem para Diadorim AZUL resultado de imagem para LOGO DE DOI CrossRef resultado de imagem para CAPES PERIÓDICAS Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
 
 

REVISTA DA ESCOLA DE GUERRA NAVALJOURNAL OF THE NAVAL WAR COLLEGE

e-ISSN: 2359-3075
ISSN: 1809-3191

INSTRUCTIONS FOR AUTHORS ON-LINE SUBMISSION