As novas ameaças” e a Marinha do Brasil

Antonio Ruy de Almeida Silva

Abstract


Após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 contra os Estados Unidos da América (EUA), a agenda internacional passou a dar maior importância às chamadas “novas ameaças”, comumente identificadas como o terrorismo, o tráfico ilegal de armas, drogas e pessoas e a pirataria. Estas atividades afetam a segurança dos mares e vêm sendo motivo de ações no campo internacional, promovidas principalmente pelos EUA, que, diretamente envolvidos na “Guerra Global Contra o Terrorismo”, vem liderando o movimento para incrementar a cooperação marítima internacional, com o propósito de tornar mais seguros os oceanos.

Este artigo analisa, sucintamente, na primeira parte, a visão norteamericana no que concerne à segurança marítima. Em seguida, discute algumas possíveis implicações sobre a liberdade dos mares que podem ser causadas por um maior grau de segurança. Finalmente, analisa a relação entre as tarefas normalmente desempenhadas pelos poderes navais e as relacionadas com as “novas ameaças”, bem como os possíveis reflexos para a Marinha do Brasil (MB) dessa nova conjuntura internacional.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2017 REVISTA DA EGN

Indexes and directories:
resultado de imagem para Diadorim AZUL resultado de imagem para LOGO DE DOI CrossRef resultado de imagem para CAPES PERIÓDICAS Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
 
 

REVISTA DA ESCOLA DE GUERRA NAVALJOURNAL OF THE NAVAL WAR COLLEGE

e-ISSN: 2359-3075
ISSN: 1809-3191

INSTRUCTIONS FOR AUTHORS ON-LINE SUBMISSION