Ameaças assimétricas no Atlântico Sul: desafios para as forças armadas e para a base industrial de defesa brasileira

Ana Carolina Aguilera Negrete, Raphael do Couto Pereira

Abstract


Este artigo analisa os impactos de conflitos irregulares conduzidos por ameaças difusas no Atlântico Sul, tanto para as Forças Armadas Brasileiras quanto para o desenvolvimento da capacidade produtiva e tecnológica da Base Industrial de Defesa (BID). O referencial teórico utilizado é a abordagem política da guerra de Clausewitz e a abordagem econômica que relaciona indústria de defesa e política industrial à luz da teoria evolucionária neoschumpeteriana. Com base em pesquisa bibliográfica e análise descritiva, algumas questões serão investigadas: (1) Como estas ameaças se relacionam com a “grande estratégia” brasileira?; (2) Como a defesa nacional está preparada para enfrentar essas ameaças e quais as vulnerabilidades brasileiras frente a elas?; (3) Como os programas estratégicos das Forças se apresentam como importantes elos para a defesa nacional enfrenta-las?; e (4) Que medidas de políticas públicas poderiam ser elaboradas para incrementar a BID brasileira? Algumas conclusões observadas: importar essas ameaças é aceitar a falha da estruturação do tripé da “grande estratégia”; a correta condução desses programas estratégicos, bem como, o alinhamento de políticas para o combate às ameaças difusas no Atlântico Sul, impactam decisivamente o desenvolvimento nacional; e a forte relação de dependência entre as empresas da BID e o cliente militar para o desenvolvimento de inovações.

Keywords


Atlântico Sul. Grande estratégia. Políticas públicas. Base industrial de defesa.

References


ABIMDE. Anuário da Base Industrial de Defesa. Brasília: 2018. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2020.

AMBROS, C.C. Indústria de defesa e desenvolvimento: controvérsias teóricas e implicações em política industrial. Revista Brasileira de Estratégia e Relações Internacionais, Rio de Janeiro, v. 6, n.11, jan/jun, 2017.

AMORIM, C. Grande estratégia e Poder Naval em um mundo em fluxo. Revista da Escola de Guerra Naval, Rio de Janeiro, v. 19, n. 2, p. 253 – 267, jul./dez. 2013.

ANDRADE, I.O.; ROCHA, A.; HILLEBRAND, G.R.L. O Programa de Desenvolvimento de Submarinos como programa de Estado. IPEA (texto para discussão n. 45): Brasília, DF, 2019. Disponível em: . Acesso em: 05 ago. 2020.

ANDRADE, I.O; SILVA, M. M. F. F; HILLEBRAND, G. R.L; FRANCO, L. G. A. Submarino Nuclear Brasileiro: Defesa Nacional e Externalidades Tecnológicas. IPEA (texto para discussão n.2428): Brasília, 2018. Disponível em: . Acesso em: 05 ago. 2020.

BRASIL. Comissão Nacional de Energia Nuclear. Com reator multipropósito Brasil terá autonomia na produção de radioisótopos. Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares. Brasília, 2016. Disponível em: . Acesso em: 05 ago. 2020.

______. Cenários de Defesa 2020 – 2039: Sumário Executivo. Ministério da Defesa. Brasília, 2017.

______. Estratégia de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha do Brasil. Estado-Maior da Armada. Marinha do Brasil. Brasília, 2017a.

______. Governo inaugura estaleiro na Base Naval da Marinha em Itaguaí (RJ). Marinha do Brasil. Brasília, 2014. Disponível em: . Acesso em: out. 2019.

______. Livro Branco de Defesa Nacional. Ministério da Defesa. Brasília, 2020.

______. Plano Estratégico da Marinha 2040. Estado-Maior da Armada. Brasília, 2020a.

______. Política Nacional de Defesa. Ministério da Defesa. Brasília, 2020b.

______. PEM 2040. Estado-Maior da Armada. Brasília, 2020c. Disponível em: . Acesso em: 03 dez. 2020.

______. Projeto Classe Tamandaré. Brasília. Marinha do Brasil. 2020d. Disponível em: . Acesso em: 07 ago. 2020.

CLAUSEWITZ, Carl Von. On War. Princeton University Press. Tradução de Michael Howard and Peter Paret. Princeton – New Jersey, 1984.

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA. Directorate for Joint Force Development – Joint Chiefs of Staff. Joint Operational Environment 2035. Washington – DC, 2016.

FARIA, J. A. P. M. A Consciência Situacional Marítima (CSM) e a Marinha do Brasil. Revista da Escola de Guerra Naval, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, 2012.

FILHO, E.B.S.; MORAES, R.F. Defesa Nacional para o século XXI: política internacional, estratégia e tecnologia militar. Brasília, DF: IPEA, 2012.

FREITAS, E.; S. A Busca de grandeza: marinha, tecnologia, desenvolvimento e defesa. Rio de Janeiro: Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha, 2014.

FRIEDE, R.; COMBAT, F. Das Novas Guerras: Fenomenologia dos conflitos armados. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 2019.

GREIDANUS, H. et al. JRC Scientific and Policy Reports – Ship Traffic and Statistics in the Gul of Guinea and off West Africa. Luxembourg: Publications Office of the European Union, 2013.

IMB. IMB PIRACY & Armed Robbery Map 2020. ICC, Londres. 2020. Disponível em: https://www.icc-ccs.org/index.php/piracy-reporting-centre/live-piracy-map. Acesso em: 02 ago. 2020.

LOPES, H.C. O Modelo Estrutura – Conduta – Desempenho e a Teoria Evolucionária Neoschumpeteriana: Uma Proposta de Integração Teórica. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 20, n. 2, p. 336-358, 2016.

MAHAN, A. T. The Influence of Sea Power Upon History (1660-1783). Boston: Little, Brow and Company, 1890.

MELO, R. Indústria de defesa e desenvolvimento estratégico: estudo comparado França-Brasil. Brasília, DF: FUNAG, 2015.

MOREIRA, W.S. Tecnologia, estratégia e planejamento de defesa. In: IX Encontro da Associação Brasileira de Estudos de Defesa. Anais IX ENABED. Florianópolis, 2016.

MORETTO, G. O ambiente de operações conjuntas 2035 (JOE 2035). CEEEx, Rio de Janeiro, v. 11(1), dez./fev., 2019.

NEGRETE, A. C. A. et al. Mapeamento da Base Industrial de Defesa brasileira. Brasília: IPEA, ABDI, 2016. Disponível em: Acesso em: 05 ago. 2020.

NELSON, R.; WINTER, S.G. Neoclassical vs evolutionary theories of economic growth: critique and prospectus. Economic Journal, Oxford, v.84, n. 336, p. 886-905, 1974.

NELSON, R.; WINTER, S.G. Uma teoria evolucionária da mudança econômica. Campinas: Editora da Unicamp, 2005.

NYE, J.S. Paradoxo do poder americano. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

OLIVEIRA, G.Z.; SILVEIRA, I.L. A questão securitária no Golfo da Guiné: Identificação de Ameaças e Implicações para o Atlântico Sul. Revista da Escola de Guerra Naval, Rio de Janeiro, v. 20, n. 2, p. 331-352, jul/dez., 2014.

PEREIRA, P. M. S. Segurança Marítima e Pirataria na Atlântico Sul: Um balanço no ano de 2013. Revista da Escola de Guerra Naval, Rio de Janeiro, v. 19, n. 2, p. 305-329, jul./dez., 2013.

SCHMIDT, F.H. Desafios e oportunidades para uma indústria emergente: o caso do Brasil. Texto para discussão n.1667. Brasília, DF: IPEA, 2011.

SCHUMPETER, J. Business Cycles: a theoretical historical and statistical analysis of the capitalist process. New York: McGraw-Hill Book Company, 1939.

SILVA, P.F. A Guerra do futuro já começou e o Brasil enfrenta o abismo tecnológico. CEEEx, Rio de Janeiro, v. 11(1), dez./fev., 2019.

STOKER, D.; WHITESIDE. C. Blurred Lines: Gray-Zone Conflict and Hybrid War – Two Failures of American Thinking. Naval War College Review, v. 73, n. 1, 2020.

TILL, G. Sea Power – A Guide for the Twenty-First Century. 1. ed. Londres: Frank Cass Publishers, 2004.

UNITED NATIONS. Security Council. Resolution 2018 (2011). New York, 2011.

______. Security Council. Resolution 2039 (2012). New York, 2012.

______. UNOWAS. Security Council. Report S/2019/549 – Activities of the United Nations Office for West Africa and the Sahel. New York. 2019a.

______. UNOWAS. Security Council. Report S/2019/1005 – Activities of the United Nations Office for West Africa and the Sahel. New York. 2019b.

WEBER, M. Essay in Sociology. Oxford. Oxford University Press Inc. 530 p. Tradução de H.H. Gerth and C. Wright Mills. Oxford, 1946.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2021 REVISTA DA ESCOLA DE GUERRA NAVAL

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Indexes and directories:
resultado de imagem para Diadorim AZUL resultado de imagem para LOGO DE DOI CrossRef resultado de imagem para CAPES PERIÓDICAS Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
 
 

REVISTA DA ESCOLA DE GUERRA NAVALJOURNAL OF THE NAVAL WAR COLLEGE

e-ISSN: 2359-3075
ISSN: 1809-3191

INSTRUCTIONS FOR AUTHORS ON-LINE SUBMISSION